17/07/2016

John Lacy: Profeta queria Ressuscitar os Mortos | Historia, Religião, Misterios


No início do século 18, o Movimento dos Profetas Franceses chega à Inglaterra e balança as estruturas de Londres com seus Milagres e Visões do Futuro, levando a população a uma euforia coletiva de fé. Parece que os resultados foram bem catastróficos. Veja o que aconteceu.

John Lacy (1664-1737), em 1706 era um homem casado, de família, com boa reputação e um dos mais ricos membros da Congregação de Dr. Calamy em Westminster, centro de Londres. A perda de um ação judicial naquele ano deixou sua sanidade bastante confusa e, ao mesmo tempo, estava sob forte influência do Movimento dos Profetas Franceses, recentemente chegado à Inglaterra. Foi então que começou a publicar traduções de obras que testificavam e "provavam" milagres proféticos, bem como uma coleção de suas próprias declarações proféticas, intitulado "Os Avisos Proféticos de John Lacy".

No prefácio dessas obras, Lacy alegava executar escritos automáticos, enquanto sob o controle do Espírito Santo, uma possessão que ele nunca se lembrava depois como acontecia, afirmando que enquanto escrevia, sua mente entrava em êxtase e seus dedos e sua fala eram dirigidos por um invisível "agente estrangeiro", pelo qual tinha também seu corpo todo agitado e contorcido, seguido de convulsões, entre outras coisas. Isso tudo foi testemunhado pela Congregação e pessoalmente por Calamy. Ele também entregava suas profecias em latim, grego e francês. Porém, enquanto ele dizia que essencialmente falava em línguas celestiais, investigações apontam que ele não era só um tradutor de francês, mas que ele também tinha tido escolaridade em grego e latim, e que, convenhamos, era horrível em fazer isso.

Lacy também alegou ter o poder de fazer milagres e, em particular, ter restaurado a visão de uma profetisa chamada Betty Gray (chamada entre os profetas de Anjo da Luz). Também curou de paralisia e removeu um tumor na garganta pela "Operação do Espírito". Juntamente com toda essa alegoria, Lacy também previu que ele seria o veículo da Ressurreição dos Mortos em 25 de maio de 1708, do Doutor Thomas Emes, um homem enterrado no dia de Natal de 1707. Emes morreu em 22 de dezembro, e no dia seguinte, uma profetisa de 12 anos de idade previu que ele ressuscitaria, ao que Lacy imediatamente assimilou que era uma missão imbuída a ele. Nos meses seguintes ao enterro do doutor, os fiéis usavam fitas verdes para identificá-los como não sendo um dos ímpios e Lacy continuava a curar.

B: Benjamin Jackson, D: Sir Richard Buckley,  E: Mister Dutton, F: John Lacy, H: espectadores, I: garotinho de 10 anos de idade, que caiu xingando o povo, K: Menina profeta de 7 anos de idade, L: Mrs Betty Gray, com um pombo em seu ombro. 

Quando o dia tão esperado chegou, algo em torno de 20.000 pessoas compareceram para assistir e testemunhar o cumprimento da profecia. Obviamente não houve Milagre e o bom médico não ressuscitou dos mortos. O fracasso de Lacy levou sua crença ao ridículo, mesmo que ele tenha escrito anteriormente uma carta expressando dúvidas sobre se realmente aquilo aconteceria. Eles foram então acusados por publicar panfletos contendo falsidade ideológica e escandalosos e por realizar assembleias tumultuosas. Eles foram condenados, multados e colocados no Pelourinho, uma coluna de pedra, onde os criminosos eram expostos publicamente ao escárnio do povo (as pessoas xingavam, cuspiam e ridicularizavam o condenado).

Após vários ataques contra sua reputação chamando-o, deliberadamente, de falso profeta nos anos que se seguiram, Lacy abandonou sua esposa e foi morar em Lancashire, no norte da Inglaterra, com Betty Gray (aquela que ele supostamente curou de uma cegueira), em 1711, onde continuou com suas alucinações até a data de sua morte, embora já não mais creditado por nenhuma instituição. Não se sabe quando ele morreu, mas a última notícia que tiveram dele foi a de que ele estava seriamente comprometido a fundar um "Oratório" em Londres, em 1937.

Fonte e agradecimentos: Wikisource, artigo de 2013.