Tuck Me In (Você pode me cobrir?) - Curtas de Terror


Este curta-metragem assustador é aquele típico "mindfuck-mega-ferrado", pois você perderá bons minutos, horas, dias, meses ou até anos para entender ou chegar a alguma conclusão. Rs. Temos algumas teorias sobre ele. Confira.

O vídeo trata-se de uma das obras primas do diretor espanhol Ignacio F. Rodó, lançado em 2014, sob o título original de "Tuck me in". O curta-metragem foi o vencedor, naquele mesmo ano, do "Filminute", que premia os melhores curtas com o tempo de um minuto. O roteiro foi baseado em uma história contada no Reddit. O elenco é formado por Luka Schardan (Alex) e Mark Schardan (pai). O tema principal gira em torno de sinistras experiências noturnas, que talvez, muitos de nós já tenhamos vivenciado.

Houve um tempo em minha vida, por exemplo, que eu só conseguia dormir com alguma luz acesa, não pisava perto da cama (com medo de uma mão pegar meu pé e me puxar para baixo) e antes de saltar para as cobertas (mesmo no verão usava cobertores dos pés ao pescoço) eu precisava checar todos os possíveis esconderijos dos monstros: dentro do guarda-roupas, atrás das cortinas, embaixo da cama e da escrivaninha, atrás da porta, etc..

No caso do garotinho do curta, é o pai dele quem faz a ronda nesses esconderijos. Com menos de um minuto de duração, a obra mostra um pai preparando o filho para dormir, que pede para que ele o cubra. Assista ao vídeo legendado:

Tuck me in
Curtas de Terror: "Você pode me cobrir?"
Publicado por Matrix Desvendada em Quarta, 30 de março de 2016


Transcrição:
Pai: "Hora de dormir, Alex."
Alex: "Você pode me cobrir?"
Pai: "É claro!" "Boa noite, Alex."
Alex: "Você se esqueceu de olhar embaixo da cama."
Pai: "Claro! Desculpe, amigão."
Alex: "Papai, tem alguém na minha cama."

Agora que você já assistiu, vamos ao mistério: quem será o filho verdadeiro? Seria, um deles, um Doppelganger? Para quem não conhece o termo, segundo as lendas germânicas de onde provém, é um monstro ou ser fantástico que tem o dom de representar uma cópia idêntica de uma pessoa que ele escolhe ou que passa a acompanhar, o que hipoteticamente pode significar que cada pessoa tenha seu próprio. Os Doppelgänger possuem ações similares a dos metamorfos, uma vez que supõe-se que os tais imitam em tudo a pessoas copiadas, desde as caraterísticas externas até mesmo seus caráteres internos mais profundos. Os Doppelgänger normalmente têm mania de querer atrapalhar a vida de seus duplicatas (os atuais geralmente são os atormentados). O nome Doppelgänger se originou da fusão das palavras alemãs doppel (significa "duplo", "réplica" ou "duplicata") e gänger ("andante", "ambulante" ou "aquele que vaga"). Esta é a nossa primeira hipótese. E você: quem é o verdadeiro Alex? Que tipo de coisa é o outro Alex? Não saia sem deixar seu comentário.

Fontes e agradecimentos:
BrasilPost, por Cleber Facchi
Canto dos Clássicos, por Lucas Pilatti Miranda
A Gambiarra, por Gabriel Mota
Terrorama, por Dr. Terror