Freddy Krueger e as Unhas da Aristocracia Chinesa


Como símbolo de alta posição social, altos membros da Aristocracia Chinesa, muitas vezes deixavam as unhas crescerem a comprimentos excessivos. Esta era a maneira de eles demonstrarem que podiam ter uma vida confortável sem ter o uso funcional das mãos para o trabalho. Confira imagens incríveis desta faceta cultural impressionante cujas crenças residem no imaginário coletivo até os dias de hoje!

(01) O Médico

Esta é a fotografia de um médico chinês, tirada por volta dos anos 1920, com unhas extremamente longas em sua mão esquerda, sentado ao lado de uma mesa. Ele está vestindo um gorro preto, uma saia e uma bata escura. A foto foi tomada em um estúdio e foi intitulada "Uma mão chinesa muito admirada".


Fonte: Wikipedia
(02) O Ancião

Este homem chinês, um ancião da aristocracia, possivelmente um médico, possuía longas unhas em todos os dedos de sua mão esquerda. A foto foi datada entre os anos 1880 a 1890. O tubo em sua mão trata-se de um cachimbo que somente a alta sociedade usava para fumar. 

Fonte: Biblioteca Digital de Imagens
(03) A Imperatriz Cixi Dowager (1835-1908)

Retrato oficial fotográfica da Imperatriz Cixi, da Dinastia Qing, tirada no ano de 1890, quando ela estava com cerca de 55 anos. A fotografia foi colorida por pintores da Corte Imperial de acordo com a realidade da época. Observe, mais uma vez, as unhas extremamente longas em sua mão esquerda. No entanto, apenas o dedo mínimo e seu anelar se destacam: isso deve-se a uma crença popular na China de que pessoas com tais dedos demasiado curtos atrairiam má sorte em suas vidas. A solução criativa que encontraram para driblar o azar foi resolvendo o problema deixando as unhas destes dedos crescerem. 

Fonte: Wikipedia
(04) Madame Manchu

Esta é uma foto de uma Mama da Manchúria, dona de uma daquelas famosas "escolas" para moças da alta sociedade, muito parecidas com as escolas para Gueishas, no Japão. Diferente do que se pensa, estas instituições tinham uma missão muito interessante: as garotas que iam pra lá deveriam aprender várias línguas, tocar instrumentos, regras de alta etiqueta, artes clássicas, entre outras coisas. Tratavam-se de escolas para tornar a moça um belo partido para encontrar um bom casamento. Lógico que também existe o lado obscuro destes palácios, aqueles que já ouvimos falar, que treinavam as moças para serem boas "acompanhantes" ou, de modo mais vulgar, "putas de luxo". Mas isso é assunto para outra postagem. Rs. A foto descreve a Mama e sua empregada, segurando seu cachimbo. Foi tirada em 1902, pelo fotógrafo Herbert Ponting. 

Fonte: Flickr do usuário "Okinawa Soba"
(05) Museu Mütter

A imagem que se segue pode ser encontrada no acervo de fotografias do Museu Mütter, da Faculdade de Medicina da Filadélfia, Pensilvânia (EUA). O Museu possui o título de ser o mais original do mundo devido ao tamanho e a qualidade de seu acervo médico e biológico, contendo, entre tantas coisas, uma coleção bizarra de crânios humanos, várias partes anatômicas guardadas em formol e um dos maiores arquivos de fotos de patologias e bizarrices médicas.

Fonte: Mütter Museum
(06) Protetores de Unhas

Na China, na época das Dinastias, as pessoas usavam unhas muito longas com o objetivo de distinguir-se dos trabalhadores. O trabalho manual era praticamente impossível com unhas excessivamente longas. A Aristocracia usava ainda alguns protetores de unhas que as protegiam de serem danificadas, de modo que não corriam risco de quebrar suas unhas e serem acidentalmente confundidos com a classe baixa dos trabalhadores... 

Fonte: It's about creating
(07) Guiness Book

Primeira pergunta que não quer calar: o que será que passa na cabeça dos competidores do famoso Guiness Book na seção de Unhas Mais Longas do Mundo? Como será que eles vivem por tantos anos sem cortá-las? Porque imagino que inclusive a higiene pessoal deva ser bem difícil de se fazer sozinho, ou você se cortaria todo. 0.o 

Fonte: Guiness Book
(08) Freddy Krueger?!

E quanto ao nosso queridíssimo personagem Freddy Krueger? Será que o imaginário coletivo em relação à Supremacia das Unhas foi buscar na China a inspiração de sua incrível arma letal, que pode te matar até dentro de um sonho??? o.0 

Fonte: Wikipedia
Há alguma relação entre as maldades impostas pela aristocracia mundial e os sonhos com Freddy, porque você nunca consegue fugir de nenhum deles. Se você morre no sonho, você morre na realidade: se eles matam seus sonhos e o que você é, matam você no mundo material... Afinal, segundo a história, Freddy é filho de Amanda Krueger, uma freira que foi estuprada por vários dias por detentos de uma prisão em que ela fazia suas obras. Como sabemos, a Igreja, no ocidente, era e ainda é a maior detentora de Aristocratas do mundo. A diferença é que Freddy usa uma luva com unhas cortantes e na mão direita. Me ajudem a criar uma conexão, porque meu cérebro está dando voltas agora...

Conclusão

Temos o costume de achar bizarro tudo aquilo que não nos é comum, porque "Narciso acha feio aquilo que não é espelho". Mas este costume com relação às unhas não existe somente na China Dinástica. Nos dias de hoje, esta separação entre classe trabalhadora e aristocracia através das unhas é mais comum do que se pode admitir, em todas as sociedades. Mulheres da lavoura, mulheres operárias em fábricas, empregadas domésticas, babysitters, cozinheiras, entre tantos outros cargos sociais, não permitem que você possua unhas muito longas, porque isso atrapalharia seu desempenho no trabalho. Desta maneira, quando encontramos, pelas ruas de nossas cidades, mulheres com unhas impecáveis, longas e bem adornadas, logo já imaginamos: "essa tem vida boa, tem tempo pra cuidar das unhas" ou "essa não pega no batente", etc. O fato é que é quase isso mesmo. Mulheres trabalhadoras mal podem se dar ao luxo de se vestirem bem. O tempo que lhes resta usam cuidando de casa, dos filhos, das coisas. Mas a nossa bela sociedade inventou formas bem criativas de "diminuir" essas diferenças, criando as unhas postiças! Essas já vem grandes, pintadas, decoradas e impecáveis. Você só precisa colar e pronto: já faz parte da aristocracia por um preço que quase não arranca seus rins (só um pedacinho dele... huahuahua). E o que é melhor, você será duas em uma: durante a semana você pode trabalhar até cansar e aos domingos pode posar de Madame. Que tal?! 

Zueiras à parte, o negócio é bem mais complicado do que simples palavras irônicas. O culto à beleza, à diferenciação, o separatismo é um fato, difícil é conviver com ele quando você não está do lado de quem vai vencer. Mas há casos e casos, lógico. Escrevi este artigo com a intenção de provocar o debate, o pensamento, a participação. Opiniões diferentes fazem aumentar nosso poder de argumentação. S2.