11/06/2016

Zika Virus pode afetar as Olimpiadas 2016 no Brasil - Noticias, Ciencia, Politica


Veja como a epidemia do Vírus da Zika pode afetar as Olimpíadas 2016 no Rio de Janeiro em agosto.

A maior preocupação com o vírus é a sua relação com os casos de microcefalia em bebês, além do fato de a doença não ter sido desvendada por completo. Em relação aos Jogos Olímpicos, a inquietação está por conta da proliferação da enfermidade entre os visitantes do evento, tanto de outras regiões do Brasil, como de outras partes do mundo.


A discussão está feia entre os pesquisadores, os organizadores e as autoridades. Veja alguns argumentos e as respostas dos cientistas brasileiros:


- Mais de 4 mil cientistas, entre eles especialistas das universidades de Oxford, Harvard e Yale enviaram cartas à Organização Mundial de Saúde dizendo que os Jogos deveriam ser adiados ou transferidos, pois poderiam ajudar a espalhar ainda mais o vírus pelo mundo. Respostas: Adiar os Jogos pode fazer com que aconteça em meses mais quentes, onde o mosquito possui mais alcance.

- O vírus já circula em 60 países. Resposta: Zika não é uma doença local, não pertence ao Brasil. Alterar os Jogos não evitaria que a doença siga se espalhando, já que está presente em mais de 60 países. Teríamos que interromper o fluxo de pessoas no mundo todo? A Flórida já registrou mais de 800 casos, mas os Parques da Disney não foram fechados.

- A Disseminação para países pobres, sem sistema de saúde estruturado, como Mauritânia, Nepal e Etiópia, seria desastrosa. Como vão lidar com os casos de microcefalia? No Brasil, as famílias afetadas recebem assistência adequada? (Sem resposta)

- Ainda não entendemos o vírus, o tempo que ele atua no corpo e todas as formas de transmissão. Há pesquisas que investigam se além de causar microcefalia a zika pudesse levar à Síndrome de Guillain-Barré, que causa paralisia muscular. Não se sabe se pode haver transmissão sexual. (Sem resposta)

- O Ministro da Saúde disse que os casos de Zika vem diminuindo e que no ano passado, no mês de agosto, houve uma queda na proliferação do mosquito por causa das baixas temperaturas. Mas e se fizer calor? (Sem resposta)

- As medidas de prevenção são os repelentes, roupas compridas, camisinha. Mas como controlar um povo todo que está em um clima de festa? Resposta: cada um deve avaliar seus próprios riscos. Não podemos impor que as pessoas se protejam. Só podemos garantir que estejam informados.

- Estão fazendo vistoria e fiscalização de imóveis para conter recipientes propícios à reprodução do mosquito. É possível cobrir uma área tão vasta com 100% de eficiência? A população está preparada para denunciar quem desobedeça ou cumprir com as regras de prevenção? (Sem resposta)

- Vocês não estão sendo otimistas demais? Quem se responsabilizará se ocorrer uma epidemia mundial? (Sem resposta)

- E por último, os cientistas brasileiros podem estar sendo influenciados por motivos políticos? Resposta: Não. Cara, lógico que não. Temos um compromisso sério com a verdade e com a ciência. Absurdo.

Embora seja realmente algo que não se tem como controlar 100%, o fato é que o Brasil perdeu a credibilidade em qualquer assunto e não podemos culpar as pessoas por duvidarem da eficiência das medidas preventivas e da conscientização. O que vcs acham? Compartilhe com seus amigos pra gente saber se eles estão realmente informados ou não. Valeu!

Fonte e agradecimentos: BBC Brasil.

Redes Sociais